sábado, 2 de março de 2013

Recordações (II)


O ECO

Ah, se me lembro bem daqueles dias
       tão doces de passar!
E do sino, tocando Ave-Marias,
e do cheiro das flores do pomar...

Havia ao longe um eco, a que eu falava
em todo o ardor do meu ingénuo afã;
       e a quanto eu perguntava,
como era a minha Esperança que escutava,
o eco respondia-me: -
                                    - amanhã...

Há tempos, (e em que tarde encantadora!)
voltei de novo à quinta de meus pais:
Fui ao eco falar, como ia outrora...
       - Mas que saudade agora!... -
E o eco respondeu-me:
                                     - nunca mais...


Branca de Gonta Colaço

Retirado da
Antologia da Poesia Feminina Portuguesa, pág.152
António Salvado
Edições JF

12 comentários:

  1. Amanhã ou nunca mais?

    Amanhã, o cheiro das flores do pomar daí o eco!

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amanhã!
      Nunca mais, é muito tempo.

      Um beijinho

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Bom dia Virgínia,
      gosto muito de te ver por aqui.
      Ainda bem que gostaste.
      Bom domingo para ti também.

      Eliminar
  3. Já tinha saudades tuas!!!!!!!! Também ando com problemas no computador, desapareceu-me (desactivou-se...) o "Adobe Reader" e talvez por isso tenho difícil acesso a certas imagens...
    Beijinhos e bom domingo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu tinha saudades suas!!!!(gosto muito de a ver aqui!)
      Se calhar é por lhe ter desaparecido esse "bicho" que não consegue ouvir a música...eu não percebo nada! Quando ando com experiências, faço sempre asneira.

      Um beijinho grande

      Eliminar
  4. Bonito! Não conhecia este poema.
    Uma boa semana.
    Um beijinho grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este livro, que comprei há tempos na Lumière, trouxe-me a descoberta de algumas poetisas que desconhecia e que têm belíssimos poemas.
      E o autor da Antologia é um grande Poeta aqui da cidade.
      Um beijinho, Maria Eduardo

      Eliminar
  5. É verdade... nunca mais... passou!
    Fica a recordação.
    Muito bonito.

    Um beijinho.:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade!
      Sem nostalgias, que o caminho é no presente, não é verdade?

      Mais um livrinho que veio daí, e que tive a sorte de me ter vindo parar às mãos. Tem poemas lindíssimos.

      Um beijinho
      (Ainda não acabei o trabalho!)


      Eliminar
  6. O poema é lindo mas o eco não deu a melhor resposta á saudade!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois não Gina, mas passado é passado...
      Fico contente que tenha gostado do poema.

      Um abraço

      Eliminar