sábado, 19 de março de 2016

Dia do Pai


Saudade...

                                                                    
 
 

18 comentários:

  1. Idem... aqui deste lado!...
    Beijinhos, Isabel! Bom domingo!
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)
      Beijinhos:) Bom domingo para si também ,Ana:)

      Eliminar
  2. Um beijinho comovido e incapaz de comentar.

    ResponderEliminar
  3. Penso às vezes como será que vou lembrar o meu pai. Fica-me esta imagem a alquebrar, de quem se perde aos poucos do mundo, ou vou guardar rompantes e génio, a honradez arrogante, o trabalhador sem par e deixo cair tantas outras coisas que a memória acha menores mas também vivemos...seja como for, é uma injustiça que os pais nos morram.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já vai fazer 10 anos que o meu pai faleceu e às vezes parece que foi há muito menos, tão presente tenho algumas imagens dele. Mas as fotografias ajudam muito a não deixar desvanecer a fisionomia das pessoas que partiram para sempre.

      O seu pai ainda é vivo? É que pelas suas palavras, parece-me que sim...oxalá o tenha por muitos anos ainda!

      É uma grande injustiça, que os pais morram! Mas a vida é assim e continua:)

      Boa tarde Bea:)

      Eliminar
  4. É SEMPRE um aperto, não é Isabel ?

    Beijo AMIGO.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um bocado estranho...para mim, é como se estivesse apenas muito longe e um dia vamos voltar a encontrar-nos.

      Um beijinho e um bom domingo:)

      Eliminar
  5. Que bela composição que fez. Parabéns pela ideia e pela foto.

    ResponderEliminar
  6. Obrigada, MR:)
    São coisas do meu pai, que guardo ( entre outras ) religiosamente.

    Bom domingo:)

    ResponderEliminar
  7. Que linda foto e que bela homenagem sem palavras.
    E palavras para quê? O amor guarda-o o coração!
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Graça.
      É verdade, o amor guarda-se no coração.

      Um beijinho e continuação de boa semana:)

      Eliminar
  8. Eu sinto tanta a falta do meu painho (ele se foi há 3 anos) e essas datas me deixam um tantinho em baixa.
    Fica bem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu, já vai fazer dez anos que partiu. Nos primeiros cinco anos, mais ou menos, ia ao cemitério praticamente todos. Depois o meu horário mudou e não podia continuar a fazê-lo. O tempo vai desvanecendo um pouco a falta, mas não a saudade.

      Como diz a Graça ali em cima,"guarda-se no coração", a imagem, o amor, a saudade...

      Um beijinho, Kátia e continuação de boa semana:)

      Eliminar