sábado, 9 de abril de 2016

Fronteira


Terminou hoje o  Festival Literário de Castelo Branco.
Estive lá  de tarde a ouvir o José Eduardo Agualusa, a Inês Pedrosa e Nuno Júdice. Os mediadores dos debates foram Pedro Vieira e Nuno Costa Santos.
Gostei, claro! É sempre bom, ouvir bons autores.

Mas este ano não me apercebi da divulgação. Não sei se fui eu que andei distraída ou se foi  pouco publicitado. E a escolha do local onde decorreu (Biblioteca Municipal) na minha opinião, não foi o mais adequado. Há vários auditórios na cidade, que são espaços bem mais apropriados.
Parece-me que este ano, o Festival, não esteve no seu melhor.

                                                                             

 
 

25 comentários:

  1. Para evitar equívocos, o meu último poste não tem nada a ver com este, seu.
    Aliás, a personalidade que anonimamente eu refiro, não é nenhum dos nomes que a Isabel regista.
    E foi no Fundão que o vi.
    Um bom Domingo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antes de responder, já fui espreitar o seu último post. Fiquei mesmo curiosa de quem seria a figura!

      Aqui, este ano, só ouvi três "personalidades" e o que mais gostei de ouvir foi o José Eduardo Agualusa. A Inês Pedrosa, não me trouxe nada de novo e o Nuno Júdice, devido às condições da sala e como ele fala muito baixo, não consegui ouvir praticamente nada.
      A sala escolhida, não foi a melhor opção.

      Um bom domingo também para o APS:)

      Eliminar
    2. A personagem não é muito significativa, embora goze de alguma sobrevalorização..:-)
      Os três nomes, que cita, são da legião dos "suspeitos do costume", para lembrar Simenon ou "Casablanca".
      E esqueceu o "mãezinha" que, julgo, também por lá andou..:-)
      Bom resto de Domingo!

      Eliminar
    3. APS,
      Com aquele cesto de cerejas, bem me pareceu que se referia ao Fundão.

      Eliminar
    4. Ah!Ah!Ah!...Os "suspeitos do costume"...na verdade...

      Eu gosto do José Eduardo Agualusa e gosto de o ouvir falar. Não tem tiques de estrelinha, como outros que já tenho ouvido. O "mãezinha" não esteve cá. Também não simpatizo nada com ele, mas acho que nunca o ouvi ao vivo.

      Há algum nome, destas novas gerações, que aprecie? Não é uma pergunta maldosa, é mesmo interesse e curiosidade. Não há nenhum "suspeito" com nota positiva?

      Continuação de bom domingo:)

      Eliminar
    5. Mia Couto conta com toda a minha estima e admiração. E há um poeta discreto que, normalmente, não aparece: Manuel de Freitas. Com obra de qualidade, já firmada.
      Bom resto de Domingo!..:-)

      Eliminar
    6. Mia Couto também é dos meus preferidos. Manuel de Freitas não me diz nada, mas vou pesquisar.
      Obrigada:)

      Eliminar
    7. Coloquei um poema dele no Arpose, em 27/9/2015.
      Boa noite!

      Eliminar
    8. Obrigada, vou ver.
      Estive a ver na net e ele tem muita coisa publicada, mas não conheço nada.

      Boa noite:)

      Eliminar
    9. Vou meter a minha colherada. Gosto do Agualusa. E do Manuel de Freitas.
      Boa semana!

      Eliminar
    10. Faz muito bem!
      Vi no Arpose que gosta do Manuel de Freitas. Já andei a ver na net e descobri dois sites com poemas dele, que vou ler com cuidado. Não conhecia e tem muita coisa publicada, não só no campo da poesia.

      Obrigada. Uma boa semana também para a MR:)

      Eliminar
  2. Também gosto de ouvir escritores na conversa. Por vezes oiço-os na rádio, ainda que já há tempos não o faça e tenha muito programa em atraso, mas é bom saber que existem horas de conversa em espera e à distância de um clic (ou mais):).
    Bom Dia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gosto de os ouvir, embora às vezes desiludam. Já me aconteceu ir ouvir falar algum escritor à espera de vir de lá com a alma cheia, mas depois venho completamente desiludida. Agora já vou sempre com menos expectativas.

      Bom domingo, Bea:)

      Eliminar
    2. Bom...pouco me desloco para os ouvir. Na verdade creio que o melhor mo dizem nos livros. Mas na rádio acompanham-me sem prejuízo do que faça e se me desiludem, desligo-os:). já há algum tempo ouvi na antena2, no programa "A força das coisas" um poeta que desconhecia e de que não fixei o apelido, sei que se chama Manuel e é casado com Maria do Rosário Pedreira - disse-o durante o programa - gostei bastante da sua despretensão, do modo como leu alguma da sua poesia e até da forma simultaneamente descomprometida e intensa de conviver com a poesia e se ver a si mesmo como poeta. E os poemas são bastante bons. Suscitam-nos.

      Eliminar
    3. Da Maria do Rosário Pedreira tenho alguns livros e gosto da poesia dela.

      Fui espreitar na wikipédia e o marido é Manuel Alberto Valente (não conheço e também já fui espreitar a wikipédia).

      Concordo inteiramente consigo: o melhor que nos dizem dizem-no nos livros!

      Uma boa semana para si, Bea:)

      Eliminar
  3. Sempre atenta ao que se passa, a minha querida Isabel! beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou tentando...

      Um beijinho grande e um bom domingo:)
      Aqui está feio...chove a cântaros!

      Eliminar
  4. Respostas
    1. :)

      Desejo-lhe uma excelente semana:)
      Beijinhos:)

      Eliminar
  5. De qualquer forma... um evento de louvar... onde se juntaram à conversa, grandes nomes!... E onde se fez mais um pouco, pela divulgação da boa literatura portuguesa... ainda que não no melhor dos espaços, para o efeito...
    Beijinhos! Boa semana!
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida!
      E sempre que vou a estas coisas, nunca dou o tempo por perdido!

      Um beijinho e obrigada pelos seus comentários sempre simpáticos:)

      Eliminar
  6. Olá, Isabel
    Sempre na berra com notícia, reportagem, fotografia e muitas outras coisas interessantes.
    Festival com nomes sonantes. Gosto muito do Júdice.
    Bj amigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aproveito, sempre que posso, aquilo onde posso aprender, já que agora estas oportunidades chegaram ao interior. Antigamente Castelo Branco era uma cidade onde não acontecia nada.

      Não conheço quase nada de Nuno Júdice...

      Boa noite, Agostinho:)

      Eliminar
  7. Um Festival Literário é sempre uma mais-valia!
    Devemos aproveitar tudo ao máximo nesta vida passageira!
    beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu aproveito sempre que posso (e me interessa!).

      Um beijinho e continuação de boa semana, Graça:)

      Eliminar