sábado, 11 de junho de 2016

O Poeta e a Rosa


"O poeta tem olhos de água para reflectirem todas as
                                                          cores do mundo,
e as formas e as proporções exactas, mesmo das coisas
                                          que os sábios desconhecem." [...]


Manuel da Fonseca, Retirado do poema Os olhos do Poeta
Pág.82, Poemas Completos, forja editora, 1978

                                                                              
Rosa
Myra Landau
 
Retirado daqui:
 
 

18 comentários:

  1. Olá, Isabel.
    "olhos de água" - será por estarem sempre marejados, de tanta emoção?
    Bonita descrição - tantas há! - do que são os olhos de um poeta, ser sensível ao que o rodeia, que tem olhos curiosos e atentos, com a vontade de beber o mundo e sem querer que lhe escape uma micra de beleza e, ao mesmo tempo, incapaz de desviar os seus olhos do que dói, porque não conhece a disciplina do alheamento.

    bj amg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem toda a razão na sua apreciação. O Poeta vê o belo e o feio. Nada lhe escapa e a nada fica indiferente.

      Beijinhos
      Um bom sábado, Carmem:)

      Eliminar
  2. Talvez por isso o Poeta seja um fingidor...

    Fizeste muito bem em divulgares o PAROLES da nossa tão querida Myra !


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu acrescentava ...seja TAMBÉM um fingidor.

      Por acaso não tinha colocado o link do blogue da Myra, mas já o coloquei. Às vezes não me sai bem, não sei porquê. Não fica a ligação bem feita.Obrigada poe me lembrar:)

      Beijinhos e espero que já esteja bem:)

      Eliminar
  3. Isabel,
    Os olhos dos poetas têm uma maneira diferente de ver o mundo...
    Sublime este quadro de Myra Landau.
    Um beijinho e bom fim de semana.:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois têm! E de o dizer! E nós, simples leitores, espantamo-nos com o que eles nos dizem do mundo!

      É linda a Rosa, não é?

      Um beijinho e um bom fim-de-semana também para a Cláudia (menina super-atarefada!).

      Eliminar
  4. ~~~
    Um 'post' excelente, Isabel.

    Parabéns pelo bom gosto.

    Beijinhos.
    ~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Majo:)
      Fico contente que tenha gostado:)

      Beijinhos e um bom domingo para si:)

      Eliminar
  5. É bem verdade... o que se sente... tem sempre as medidas mais aproximadas, do que as medidas da razão...
    Mais uma vez, imagem e palavras, em pura harmonia!
    Beijinhos! Bom fim de semana!
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Ana:)

      Beijinhos e retribuo o desejo de um bom fim-de-semana:)

      Eliminar
  6. Mais uma vez um bom 'casamento'. :)
    Bom domingo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, MR:)
      Um bom domingo para si também:)

      Eliminar
  7. Belissímo, de propósito.
    Feliz combinação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Agostinho. É sempre bom saber que quem visita o blogue aprecia os post.

      Continuação de um bom dia:)

      Eliminar
  8. Adoro este poema...obrigado pelas "parole"...palavras e imagens bonitas são sempre bem vindas!
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada eu, pelo comentário simpático:)
      Um beijinho e que tenha um bom sábado:)

      Eliminar
  9. Que lindo poema Isabel! Gosto muito de Manuel da Fonseca e da sua simplicidade. Bela ilustração também! beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico contente que tenha gostado. Obrigada:)

      Beijinhos:):):)

      Eliminar