sábado, 9 de janeiro de 2021

História da menina louca


Procuraram toda a casa, toda a terra,

Ninguém a achava.

Ela estava no telhado atrás da chaminé,

Olhava as estrelas e cantava.

Estava tão feliz e sossegada!

Olhava as estrelas e cantava.


Meu Deus, está louca!

Vamos levá-la.


Estava tão feliz!

Olhava as estrelas e cantava...



Ana Hatherly, Cem Poemas Portuguesas Sobre a Infância, pág.140

Terramar

8 comentários:

  1. Sou um grande fã da poesia de Ana Hatherly e não posso deixar de me regozijar com a publicação deste seu poema. Ana Hatherly foi de uma criatividade e de uma imaginação enormes, e tem estado injustamente esquecida. Até por mim, tenho que confessar. Muito obrigado e votos de um Feliz Ano Novo.

    ResponderEliminar
  2. Que belo poema, Isabel! Bem diferente e mais simples dos que já li de Ana Hatherly. Já o reli várias vezes e vou guardá-lo.
    Beijinho e domingo quentinho, ainda que frio lá fora.

    ResponderEliminar
  3. Estava louca...
    Todas as loucuras fossem como esta - a olhar as estrelas e a cantar!
    A beleza está nas coisas simples, essa é a sabedoria!
    Tristes os que não compreendem esta "loucura".
    Resto de bom domingo, Isabel.:))
    Beijinhos.:))

    ResponderEliminar
  4. »Olhava as estrelas e cantava», logo estava louca... Coisas!
    Boa semana!

    ResponderEliminar
  5. Que loucura é estar feliz, não é mesmo, Isabel. Gosto bastante da poesia de Ana Hatherly

    ResponderEliminar