domingo, 25 de maio de 2014

Canção do tempo fugaz


A água corre, jamais regressa
       à nascente da montanha.
A flor cai, jamais regressa
       ao ramo que a sustentou.
Fugidio relâmpago, a vida,
       apenas o sentir do seu passar.
Imutáveis Céu e Terra,
       tão rápida a mudança em nosso rosto.

Poemas de Li Bai, pág.259
Instituto Cultural de Macau
      
                                                                               
 
Myra Landau
 
 

16 comentários:

  1. Gostei da relação entre o poema e o quadro. E gostei de ambos.
    Bom domingo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, MR! Fico contente.

      Boa noite!

      Eliminar
  2. É a condição iniludível de viajar no tempo como nós.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É assim mesmo!

      E se tem que ser, aproveitemos bem a viagem!

      Boa noite!

      Eliminar
  3. Pois é, querida Isabel,
    "a água corre, jamais regressa
    à nascente da montanha..."
    Resta-nos seguir em frente,encontrar outras águas e correr por aqui e por ali... E vir até aqui, claro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Correndo por aqui e por ali, vamos fazendo o caminho. Um caminho bom, quando se encontram bons amigos, como a Maria João.
      Obrigada por vir até aqui :)
      Um beijinho!

      Eliminar
  4. Todos os lugares por onde passamos são irrepetíveis, porque no retorno já nossos olhos adquiriram diferentes perspectivas. A vida deve ser colhida, flor a flor...

    Um beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade! Mudamos e muda o mundo!

      Flor a flor, vivendo o momento!

      Um beijo e boa semana!

      Eliminar
  5. O poema é deveras lindo, além de conter a VERDADE do mundo !

    Um beijo amigo, Isabel.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também o achei lindíssimo e em poucas palavras toda a VERDADE do mundo, mesmo! Nada volta ao que era antes.

      Um beijinho e uma boa semana!
      (Espero que o seu Mac já esteja "recuperado"!)

      Eliminar
  6. Gostei muito do poema. Da Myra também é claro!

    Sou fã da Janis Joplin, boas escolhas.:))
    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Ana. Ainda bem que gostaste!

      Gosto muito da Janis Joplin. É uma voz diferente.

      Um beijinho :)

      Eliminar
  7. Um poema muito bonito sobre a passagem do tempo, a lembrar Ricardo Reis ou Sophia ("Jamais de detém Kronos cujo passo/ Vai sempre mais à frente/ Do que o teu próprio passo.")

    Boa semana, Isabel. :) Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai sempre um bocadinho mais à frente...e não pára nem volta atrás. Se não vivemos o momento, perdêmo-lo.

      Boa noite, Deep :)

      Eliminar