segunda-feira, 15 de setembro de 2014

O silêncio dos poetas


"As poesias nascem dum silêncio
ou duma conversa que temos a sós
com uma dúvida ou uma madrugada
que faz de nós que não somos nada
a própria dúvida mas concretizada"

José Bação Leal


                                                                   
 
     

16 comentários:

  1. Excelente esse SILÊNCIO DOS POETAS !

    Obrigado, pois ficou cá dentro.

    Um beijo, Isabel.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que gostou, fico muito contente.

      Um beijinho:)

      Eliminar
  2. Li há muito, e gostei deste poeta que muito prometia, mas teve vida breve...
    Bom dia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Morreu com 23 anos...não conhecia. Comprei há pouco tempo um livro dele, duma colecção fac-similada de livros proibidos pela censura, que tem andado a sair, com algum jornal ou revista. Só tenho alguns títulos.
      Acho este poema muito bonito.

      Boa tarde:) Por aqui tem chovido bastante...

      Eliminar
  3. Bela imagem para ilustrar uma poesia do silêncio... beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada, Maria João:)
      A foto foi um bocadinho fruto do acaso, mas também gosto dela.

      Um beijinho:)

      Eliminar
  4. Não me lembrava da poesia dele, mas sim das cartas. Não sabia que o livro tinha sido reeditado.
    Bom dia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este livro "Poesias e Cartas" é uma edição fac-símile do original publicado em 1971 e faz parte dum conjunto de livros que têm estado a sair com um jornal ou revista, creio...
      Toda a colecção é de livros proibidos antes do 25 de Abril .

      Boa noite, MR:)

      Eliminar
  5. Gostei muito deste silêncio em palavras e imagem.:))
    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que gostaste, Ana:)
      Um beijinho e continuação de boa semana:)

      Eliminar
  6. Fiz-te um comentário há dias a este post de que gostei muito, que pelos vistos se perdeu.
    Bom finde, beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Às vezes acontece. Basta clicarmos no local errado...já me aconteceu por estar distraída e só mais tarde é que me apercebo.

      Obrigada por gostares, Maria:)
      Um bom finde também para ti. Aqui já chegou a chuva:(

      Eliminar
  7. Uma definição perfeita do que é fazer poesia.
    Desconhecia este poeta e fiquei curiosa, vou pesquisar e conhecê-lo melhor.

    beijinho e bom fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei imenso deste poema. Também não conhecia o poeta, até comprar este livro. Depois também estive a ler sobre ele na net.

      Um beijinho e bom fim-de-semana também para si, Fê :)

      Eliminar
  8. Perfeitamente perfeito o poema. A fotografia é muito bonita a convidar-nos à reflexão e, ao mesmo tempo, a desafiar-nos para o que está lá fora.
    Palmas para esta mensagem, Isabel!
    (Poste não gosto; faz lembrar-me o horroroso emaralhado dos ditos - postes - e dos labirinticos cabos da EDP e da PT. Um "primor" a estragar as nossas belas paisagens).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah!Ah!Ah!
      Bem, mas aqui é "post" sem "e", portanto sem tantas complicações.
      São os custos do progresso...

      Muito obrigada pelas palavras simpáticas ao "poste"...

      Bom fim-de-semana:)

      Eliminar