domingo, 16 de fevereiro de 2014

Uma lição a reter...


Mais um Recebido por mail.
Na segunda-feira passada uma colega levou esta ideia para a escola . Fiz com os meus alunos (excepto a parte de pedir desculpa à folha; também não falei em "bullying" )  e agora a Folha amachucada está sempre presente. Com crianças tão pequenas, não se pretende que nunca briguem, até porque isso faz parte do crescimento... as zangas, as pequenas brigas...mas da mesma forma natural como brigam, também sabem pedir desculpa e não são rancorosas.
Este é apenas mais um exercício (interessante) de Educação Cívica  porque nunca é demais insistir e fazer perceber que  A minha liberdade acaba onde começa a dos outros  e   Não faças aos outros o que não queres que te façam a ti.

Ontem recebi por mail; aqui fica!
(O texto está conforme recebi. Copiei e colei.
A Mafalda, fui eu que acrescentei!)

                                                                            
                                                                                                                     
                                                                  
« Professora usa método pedagógico para explicar o que é BULLING aos alunos

BULLYING

Uma professora quis ensinar à sua turma os efeitos do bullying.

Pediu-lhes para seguirem as seguintes instruções. Deu a todos os alunos uma folha de papel e disse-lhes para amachucarem, e para deitarem para o chão e para pisarem.

Resumindo, podiam estragar a folha o mais possível mas não rasga-la.
As crianças estavam entusiasmadas e fizeram o seu melhor para amachucarem a folha, tanto quanto possível.

A seguir a professora pediu-lhes para apanharem a folha e abri-la novamente com cuidado, para não rasgarem a mesma. Deviam de endireitar a folha com muito cuidado o mais possível. A senhora chamou-lhes atenção para observarem como a sua folha estava suja e cheia de marcas. Depois pediu-lhes para as crianças pedirem desculpa ao papel em voz alta, enquanto o endireitavam. Eles mostravam o seu arrependimento e passavam as mãos para alisarem o papel, mas a folha não voltava ao seu estado original.

Os vincos estavam bem marcados.

A professora pediu para que olhassem bem para os vincos e marcas no papel. E chamou-lhes atenção para o facto que estas marcas NUNCA mais iriam desaparecer, mesmo que tentassem repara-las.

“É isto que acontece com as crianças que são “gozadas” por outras crianças”, afirmou a professora.

Podes dizer: Desculpa, podes tentar mostrar o teu arrependimento, mas as marcas, essas ficam para sempre.

Os vincos e marcas no papel não desapareceram, mas as caras das crianças deram para perceber que a mensagem da professora foi recebida. »


                                                                                  


6 comentários:

  1. Amo a Mafalda ...assim mesmo.

    firme e de laço vermelho nos cabelos loucos.

    bjs muirtos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos duas! ADORO!

      Beijinhos para todas, com amizade!

      Eliminar
  2. Vamos a isso: começar hoje o mundo melhor, como pede a Mafalda! Acho que foi uma experiência utilíssima! As crianças são muito sensíveis nestas idades sobretudo: o explicar assim tão clarinho com esse papel é uma ideia feliz! Eu sabia que tu seguirias a lição, antes de todos...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma ideia interessante e os alunos perceberam. Agora quando se zangam, uns com os outros, lá vem a folha à baila. Eles levam estas coisas muito a sério.

      A Mafalda tem razão, mas está difícil ver o mundo melhorar...

      Um beijinho grande!

      Eliminar
  3. Eu acho que já a iniciaste este ano!!!!

    ResponderEliminar